Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *

Videos

Loading Player...
Boa Noite! Hoje é Segunda, 29 de Junho de 2015

Enchente seria motivada por chuva intensa na Bolívia, ao invés das usinas Santo Antônio e Jirau


Cheia histórica do rio Madeira está sem relação com hidrelétricas da região, defende CPRMBRASÍLIA - A operação das usinas hidrelétricas Santo Antônio e Jirau, no rio Madeira, não influencia a cheia do rio, segundo avaliação do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), que monitora a vazão do rio. “Não temos observado influência das usinas, porque elas são a fio d’água, não retêm água. Elas têm um protocolo de nível mínimo e máximo, e têm mantido isso o tempo inteiro. A água que entra, passa”, explicou o diretor de hidrologia e gestão territorial do CPRM, Thales Sampaio.

Segundo o diretor da CPRM, o que está causando a cheia no rio Madeira é o excesso de chuvas na Bolívia, onde ficam as cabeceiras do rio. “Choveu acima da média desde outubro na Bolívia, especialmente em janeiro e fevereiro”, apontou o diretor. Segundo ele, esta é a maior cheia do rio Madeira nos últimos 47 anos, desde que o nível do rio é medido. “É também a maior cheia de que temos notícia, deve ser de mais de 100 anos”.


LEIA TAMBÉM


O Movimento dos Atingidos por Barragens relaciona a cheia do rio Madeira com a operação das usinas hidrelétricas. “É impossível não ter influência, porque a barragem é feita para barrar a água, e temos duas barragens enormes aqui”, disse um dos militantes do movimento em Rondônia, João Dutra.

Por causa da cheia, o Operador Nacional do Sistema Elétrico determinou o rebaixamento do nível do reservatório da Usina Hidrelétrica Santo Antônio, para evitar que as estruturas provisórias de Jirau fossem afetadas. Com isso, foi necessário o desligamento de 11 das 17 turbinas de Santo Antônio, porque não há água suficiente na barragem para permitir o funcionamento dos equipamentos.

“O desligamento das turbinas da hidrelétrica tem causa exclusivamente técnica, e é em consequência da cheia histórica do Rio Madeira”, disse, em nota, a Santo Antônio Energia, responsável pela usina. A empresa esclareceu também que não há qualquer risco de a barragem se romper em situação de cheia, porque tem capacidade para verter quase duas vezes a atual vazão do rio Madeira. A empresa afirma que não haverá problemas no fornecimento de energia, porque a energia que não está sendo gerada, neste momento, é compensada pelas usinas do Sistema Interligado Nacional.

A Usina Hidrelétrica Santo Antônio opera com 17 turbinas e gera aproximadamente 1,2 mil megawatts de energia. A Usina Jirau iniciou a operação com uma turbina de 75 megawatts.

A previsão da meteorologia é que chova bastante nos próximos 15 dias. “Podemos esperar que o rio Madeira continue alto durante todo o mês de março”, adiantou explicou o diretor de hidrologia e gestão territorial do CPRM.

Descubra como ajudar os desabrigados pela enchente do rio Madeira em Rondônia.

Siga-nos no Twitter e no Facebook

Deixe o seu comentário

Postar um comentário como um convidado

0
Seus comentários são sujeitos a moderação do administrador.
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

Designed by ABCMIX Joomla Site Designer - 2015